sexta-feira, 21 de abril de 2017

Entrelinhas

Seu semblante tenso
vinha traduzir o amor
no desencontro marcado
ela sofria ao falar
daquilo que causava dor.

Garbo silêncio dos olhos
vinha esbaforida explicando
rubra de rosto molhado
linda, preocupada, me amando.

Respondi com a saudade louca
um silêncio equivalente
e de essência tão contente
nem ouvia ela falando.

ives vietro

12 comentários:

  1. Lindo momento tão bem descrito,Ives!Adorei ! abraços, chica

    ResponderExcluir
  2. Que linda poesia Ives!
    As palavras ficaram nas entrelinhas.
    Bjs e obrigada pela visita.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  3. Essa essência que só o silêncio nos traz é que faz o ato de amar ser ainda maior!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. "nem ouvia ela falando"

    A-hammm...

    Os homens são assim mesmo.
    ; )

    ResponderExcluir
  5. Passando para deixar uma mensagem!!

    Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado dos amigos, com certeza vai mais longe.
    Clarice Lispector

    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  6. Belo, belo!
    O silêncio que a tudo diz... Mudo, repleto de vozes...

    Beijos =)

    ResponderExcluir
  7. Há belezas que emudecem...
    Lindo, Ives. Bjo :)

    ResponderExcluir
  8. Ives, belas palavras no poema! Tenha um feliz sábado, meu amigo. Abraços.

    ResponderExcluir
  9. não é necessário pedir desculpas porque o amor e a presença já é a alegria e o perdão.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  10. Um reencontro gostoso...
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Ives descreveu o momento do reencontro com muito sentimento, beleza guardada dentro de tua alma, ficou muito lindo, bjo

    ResponderExcluir
  12. Que lindo! Queria viver essa saudade. Muita paz!

    ResponderExcluir