segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Brasil

O dono do bar é um cearense de muito respeito e ai daquele que não ler nos olhos dele os limites do estabelecimento. Mas todos frequentadores de botecos sabem que é preciso ter muito cuidado com quem não se conhece direito. Entrei, cumprimentei com um bom dia sorridente, e todos responderam com o mesmo sorriso feliz, afinal, era sábado. Pedi uma cachaça e um torresmo quando chegou um Senhor simpático ao meu lado e começou a conversar daquela forma brasileira, sem pretensão nenhuma além da de jogar conversa fora. O meu novo amigo me disse que era da Bahia antes de ficar em silêncio... “Viver em São Paulo é difícil, ainda mais com a família longe”. Nessas horas não se fala nada, as lágrimas já estão fazendo o trabalho divino. Passado alguns minutos entraram outras pessoas no bar. O “Ceará” logo os saldou com aquele ar álacre próprio dos nordestinos. Essa turma vinha do Rio Grande do Sul, arrumaram emprego nos arredores e moravam ali perto. Eram muito divertidos também. A seguir o mais inusitado aconteceu: um senhorzinho sentou-se e abriu uma marmita. Estiquei o olho e vi berinjela em seu prato. “Adoro berinjela frita”. Disse ao homem que pegou do seu garfo e ofereceu com a mão direita um pedaço da iguaria, e eu peguei com a mão direita também. Lembrando que só de oferece algo com a mão direita e não podemos recusar. Eu sorri, e ele fechou os olhos de felicidade. Esse ar de Brasil, de brilho conhecido, de gente esfolada nas ruas, é o ar da solidariedade. Nunca ficamos tão apertados como agora nessa crise, mas não ficamos sem oferecer o nosso melhor com a mão direita. Sabemos de quem tem dinheiro e não oferece nada, mas apenas dizemos “Deus ajude” e seguimos muito felizes. Quem acha que vamos passar fome no bar está enganado, logo fazemos o rateio para comprar carne de primeira, carne de primeira. Bebemos e comemos até não aguentar, mas ficar bêbado é mal visto por lá, um bom bebedor aguenta a bronca e jamais fica cambaleando, quem ficar assim leva uma bronca do Ceará que trata até de manda-lo embora. Esse é o Brasil gente, um Brasil que está nas ruas, um Brasil de gente sem frescura, e que não deixa de ser solidário apenas para ser solidário. abraços

8 comentários:

  1. Essa é a parte do Brasil que é legal, a simplicidade de sua gente.Lindo!abração,chica

    ResponderExcluir
  2. "Esse ar de Brasil, de brilho conhecido, de gente esfolada nas ruas, é o ar da solidariedade." Gostei.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Esse aconchego faz toda a diferença.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Apesar de recebermos tantas críticas, não considero a solidariedade brasileira uma utopia. São ações simples, mas cativantes.

    Beijão!
    Blog: *** Caos ***

    ResponderExcluir
  5. Parceria e cumplicidade nos bons e maus momentos... Somos brasileiros... Enfrentamos!

    ResponderExcluir
























  6. Vejo o Brasil, apesar dos problemas seríssimos enfrentados, graças à falta de caráter dos políticos, ainda um país bom para se viver. Os brasileiros são hospitaleiros e bem sociáveis. Amigo, passando para desejar-lhe um lindo dia. Abraços.



    ResponderExcluir
  7. IVES: Não sei o que houve, mas o meu comentário não saíu! RRSS!. O que penso, é que o Brasil, apesar dos grandes problemas enfrentados, ainda é um bom país para se viver. Amigo, tenha um belo dia! Abraços.

    ResponderExcluir
  8. e viva o Povo brasileiro...com sua mazelas e sua grandezas.
    Um abraço

    ResponderExcluir