quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Cartas encontradas!

Deixadas sobre a mesa velha, num amontoado de sopros solitários, as poesias nascidas no imo das flores, observadas com o sentido das águas que banham o semblante afogado. Uma vela branca de aroma milenar incandescia o ambiente e o meu olhar: estático! Dossiê dos meus erros, sublevados à essência das estrelas! Meus sentidos reúnem as partículas, conspiram em meu pensamento a virtude espelhada nas ações ancestrais! Dé jàvu ligados a outras dimensões, reveladas nas cartas sobre a mesa! Ives vietro

26 comentários:

  1. Tão bom encontrar e reler velhas cartas assim.pedaços de vida! abração,chica

    ResponderExcluir
  2. Como você escreve bem meu amigo! Parabéns! Antigas cartas, causam um "dé jàvu", que até antigos perfumes vem a mente.

    Grande abraço
    Fique na paz.

    ResponderExcluir
  3. O rio poético que transcendem o tempo,ao

    encontro das águas profundas do sentir e

    o olhar espelhados na alma...

    Muito bela e profunda,sempre assim,

    a tua poesia!!

    Abraço,Ives.

    ResponderExcluir
  4. Oi poeta
    Às vezes passo por algum lugar e me parece conhecido. Só se foi em outras vidas
    Adorei o texto
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  5. Amigo Ives
    Encontrar cartas faz-nos viajar e sonhar!
    Parabens pelo seu belo texto.
    Um abraço
    Beatriz
    VIDA E PENSAMENTOS

    ResponderExcluir
  6. Cá está novamente o tempo da memória exposto em poesia. O déjà vu de agora foi no entanto novidade no passado do qual restam agora testemunhos.
    Os teus textos são poesia pura, Ives.
    xx

    ResponderExcluir
  7. Gostaria de saber o conteúdo dessas cartas, rs (curiosa né, rs)

    Abçs

    ResponderExcluir
  8. Palavras escritas, tal qual fotografias, eternizam momentos. Por vezes capitulos, narrados, descritos e reescritos na memória de sua poesia!
    Felicidades para você!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Sobre a minha mesa também há um monte de escritos; alguns não ouso reler, outros procuro-os de quando em vez. São momentos vividos que me transformaram no que hoje sou; devaneios, sonhos, realidades; erros cometidos, acertos, encontros e desencontros em caminhos erradamente percorridos. Olho para a pilha de papéis amarelecidos pelo tempo e algumas lágrimas escorrem muitas vezes, muitas delas de saudade, saudade de bons momentos...de pessoas importantes...de eperiências que me enriqueceram, mas tudo agora está aí nesse papel amarelecido que, da mesa vou tirar e na prateleira da minha memória vou guardar; alguns vou embrulhar cuidadosamente em papel dourado, outros...bem...ficarão assim como estão; não interessam...não me apetece relê-los. Linda esta tua prosa, cheia de poesia. Gostei muito. Um bom bom fim de semana. Um beijinho
    Emília

    ResponderExcluir
  10. As cartas sempre fazem parte de nossas vidas, envelhessemos mas elas sempre estão lá..Revelando os acontecimentos.
    Abraços

    ResponderExcluir
  11. Olá.
    Bom dia. Bom fim de semana.
    Paz. Que dos céus derramem alegrias. Por que a Vida, é um seguimento Divinal. E viver, uma tradução dos sonhos e desejos.
    Estou aqui, para saudar-te.

    ResponderExcluir
  12. Meu amigo, é bem verdade o que escreve, quando paro e abro o arquivo onde velhos poemas meus estão guardados e até esquecidos por mim, revivo cada instante que os escrevi, lembro do sentimento do momento, aliás quem me acompanhou deste 2009 através de meus poemas sabia exatamente o momento que eu estava vivendo, como eu dizia quem lia com os olhos da alma sabia, relembrar é bom, traz-nos lembranças que não importa se boas ou más, importa que vivemos, arriscamos, demos a cara a tapa, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  13. OLÁ
    Passando para te desejar uma tarde de domingo cheia de paz. Escritos sobre a mesa que relatam poesias.Um abraço.
    Ana

    ResponderExcluir
  14. Querido amigo,Ives!

    Fico muito feliz em fazer parte de seu quadro de seguidores. Tenhas uma semana maravilhosa....

    veraportella

    ResponderExcluir
  15. meu querido amigo

    São recordações que ficam num canto do nosso coração...bem guardadas.


    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  16. Um inventário das vivências, um conjunto de experiências e o próprio mundo diante de si, belíssimo texto, Ives.

    Abraço!

    ;))

    ResponderExcluir
  17. Papéis enriquecidos com o sentimento, viajando no tempo. São como fotos, registros que nos mostram mudanças e momentos. Bjs.

    ResponderExcluir
  18. Palavras guardadas em cartas que não esquecem o passado.

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Estou me preparando para uma arrumação em casa e muitas cartas poderei encontrar. Provavelmente também me verei como você diz aqui... como um semblante afogado.
    Belo texto!

    ResponderExcluir
  20. Todas recordações e segredos,ficam guardadas em uma carta.
    Em cima de uma mesa,ou em uma gaveta.
    Lindo adorei.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  21. Cartas são muito importantes,onde guardamos recordações e momentos de alegrias.
    Obrigada pela visita Ives.
    Abraços
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  22. Tudo que guardamos na gaveta do tempo um dia as paginas amareladas pelo
    tempo serão usada para biografia das nossa existência.
    Abraços amigo.

    ResponderExcluir
  23. Boa tarde Ives,
    Grata pela visita!
    É uma sensação boa ter um déjà vu, ao ler cartas encontradas...
    Muitas lembranças vem à tona...
    Abraços \o/

    ResponderExcluir
  24. Oi amigo Ives, é sempre bom reler cartas, principalmente aqueles que trazem boas lembranças!
    Abraços e boa semana!

    ResponderExcluir
  25. Que lindooo....nada melhor do que rever o que fez nosso coração bater de felicidade; bjsss

    ResponderExcluir
  26. Se não forem lidas as cartas nada revelam. Tal como os teus textos. Lidos são encantos poéticos.
    Um prazer descodificar sentidos ocultos...
    Bjo, Ives :)

    ResponderExcluir